Além do Metal: O Cinema de Rob Zombie

Atualizado: Ago 1

Jornada pela carreira de Rob Zombie

Gustavo Koncht


Nascido em 1968, Rob Zombie ganhou fama mundial entre as décadas de 1980 e 1990 com a banda White Zombie, que mesclava o heavy metal com o metal industrial. As letras de suas músicas eram frequentemente inspiradas por filmes de terror e ficção científica, principalmente por “filmes B”. Com o fim da banda em 1998, Rob assumiu carreira solo, mantendo o heavy metal como base de sua música, mas abraçando outros gêneros, como o country e o punk rock. Ainda em 1998, ele lançou Hellbilly Deluxe, seu primeiro álbum solo, cuja mais nítida inspiração era o cinema de terror.


A carreira de Zombie no audiovisual começa em 1995, com a direção de videoclipes que, posteriormente, o levaram a ser convidado para desenvolver uma atração para o Halloween Horror Nights, evento anual do Universal Studios Florida. O projeto o inspirou para a confecção de A Casa dos 1000 Corpos (House of 1000 Corpses), seu primeiro longa-metragem, cujo enredo acompanha dois jovens casais que caem na macabra teia da sádica família Firefly. Filmado em 2000, o projeto foi adquirido pela Universal Studios, mas engavetado após as primeiras sessões-teste devido ao conteúdo gore altamente gráfico e polêmico. Posteriormente, o diretor conseguiu re-adquirir os direitos de sua obra, vendendo-os para a Lions Gate, que lançou o filme nos cinemas em 2003.


O longa de estreia do cineasta teve recepção majoritariamente negativa pela crítica especializada. No entanto, conquistou uma legião de fãs e seguidores, viabilizando a produção de uma sequência em 2005. É possível dizer que, já em seu longa de estreia, Rob conseguiu encontrar identidade e construir seu próprio segmento dentro do gênero de horror. O humor negro recorrente introjetado numa atmosfera marcada pelo pessimismo e pela claustrofobia são traços característicos de A Casa dos 1000 Corpos e viriam a ser, futuramente, traços identitários da obra de Zombie no cinema.


Rejeitados pelo Diabo (Devil’s Rejects, 2005) surge com a missão de atenuar a bagunça narrativa característica de A Casa dos 1000 Corpos, mas sem abrir mão do caos e do sadismo. A experimentação, comum entre os videoclipes de Zombie e seu longa de estreia, deu lugar à segurança do cineasta na condução da bem-sucedida sequência. No entanto, trata-se de um filme consideravelmente mais imprevisível que seu anterior, por apresentar certa relação de equilíbrio entre os protagonistas (os membros remanescentes da família Firefly) e seus novos antagonistas (os policiais liderados pelo xerife Wydell, encarnado por William Forsythe).


Em 2007, Rob redesenhou Halloween, o clássico de John Carpenter. Servindo como prequel e remake do filme de 1978, o cineasta optou por explorar a infância de Michael Myers, vilão imortalizado pela bem-sucedida franquia. Pode-se dizer que trata-se do clássico caso de “dois filmes em um”: o primeiro responsável por narrar a jornada de Michael Myers até tornar-se assassino em série; e o segundo responsável por narrar o massacre do famigerado “dia das bruxas” e, nesse caso, servir como refilmagem do clássico de Carpenter. A roupagem atribuída por Zombie à história imprime na franquia todo pessimismo, sadismo e humor negro característicos da obra do cineasta. A linguagem chula, a sujeira e toda misantropia comum à filmografia do diretor são elementos impregnados em Halloween - O Início, e fazem com que o espectador sinta asco de diversos personagens e suas falas, para além do vilão já conhecido.


Com o sucesso de Halloween - O Início, a Dimension Films deu sinal verde à sequência do “remake” de 2007. O filme, dessa vez, assumiu total liberdade em relação à sequência do filme original, lançada em 1981 e dirigida por Rick Rosenthal. Ao longo das duas horas de projeção, acompanhamos uma narrativa que difere bastante da apresentada anteriormente. Há um constante flerte com o sobrenatural, além de tomar como alicerce a ideia de determinismo, ilustrada pela sentença “Family is Forever” - frase que ilustra grande parte do material promocional do filme. E, claro, Zombie dificulta a torcida por qualquer personagem. Se já no filme anterior a maioria dos personagens era pra lá de irritante e facilmente detestável, na sequência não é diferente.


Em 2013, Rob entregou um dos produtos mais identitários dentro de sua filmografia. Senhoras de Salem é um filme enxuto, econômico e, apesar de ser tão pessimista e misantrópico quanto os filmes anteriores do cineasta, busca alicerce numa construção mais fluida e limpa, abrindo mão dos excessos que marcaram a carreira de Zombie até então. O filme também abre mão do humor negro que caracteriza boa parte da obra do cineasta, optando por provocar o espectador através de uma atmosfera sombria e soturna.


Quase 15 anos após lançar Rejeitados pelo Diabo, Zombie retornou à franquia que o popularizou entre os fãs do horror. Em 2019, o roqueiro lançou Os 3 Infernais (3 from Hell), terceiro filme da trilogia iniciada em 2003 por A Casa dos 1000 Corpos. O longa acompanha os desdobramentos da prisão dos membros remanescentes da família Firefly. Trata-se de um filme extremamente cômico e, incrivelmente, espirituoso. O diretor permite que o humor negro tome conta da atmosfera durante boa parte da projeção, praticamente entregando o filme à comédia em muitos momentos. Ele conta com uma das melhores performances da carreira de Sheri Moon Zombie, esposa e musa do cineasta, com quem trabalha frequentemente.


Apesar de ser frequentemente incompreendido pela crítica especializada, Rob Zombie conseguiu, ao longo das últimas duas décadas, trilhar uma frutífera e identitária jornada pelo gênero de terror. Devido a seus diversos vícios de linguagem, tem sido comum observar críticas à aparente inércia do cineasta dentro de sua zona de conforto. No entanto, não há como negar a paixão e o entusiasmo do cineasta pelo gênero que o acompanha desde o início de sua carreira musical. Seja devido às diversas menções cinematográficas em suas músicas ou às inúmeras referências a clássicos do gênero de terror em seus próprios filmes, um fato faz-se indubitável: Zombie tem amor genuíno pelo que faz.


Ficou interessado e quer conhecer a filmografia de Rob Zombie? Separamos alguns títulos disponíveis em plataformas de streaming.


Rejeitados pelo Diabo (2005) - Prime Video

Halloween - O Início (2007) - Prime Video

Halloween 2 (2009) - Prime Video

O Mundo Assombrado De El Superbeasto (2009) - Prime Video

Os 3 Infernais (2019) - Prime Video


63 visualizações

©2020 por Lacrymosa. Orgulhosamente criado com Wix.com